Enquanto ainda podemos... Vamos Salvar e Melhorar a Praia do Forte.

A Praia do Forte de Natal é uma das mais belas praias urbanas do RN (talvez, do Brasil) e, com toda certeza, é uma das melhores praias brasileiras para a prática de natação e hidroginástica, além de um excelente banho de mar, especialmente, no seu Piscinão Natural, que fica bem próximo a cabeceira sul da Ponte Forte – Redinha. É o melhor local da região em termos de geografia e formação do solo, da qualidade da água e do ambiente social mais refinado. É local mais adequada para levar crianças, idosos e pessoas com baixa mobilidade de locomoção, embora a infra-estrutura seja insuficiente ou quase inexistente.  Entre as praias centrais de Natal, é o único pedaço frequentado regularmente por muitos representantes de classes economicamente mais abastadas. Em maré muito alta não é aconselhado nadar próximo aos arrecifes, especialmente, em maré vazante, sob o risco de ser puxado para mar, revoltoso ou ser jogado nos arrecifes. 

É justamente nesse Piscinão Natural que acontece o Programa Hidro na Praia, de minha autoria e execução. Lá, desde fevereiro de 1998, venho ensinando e orientando a prática adequada de hidroginástica e natação utilitária em praia. Até o momento, para implantar e manter as atividades do Hidro na Praia, tenho contado apenas com a gentil participação e a colaboração financeira dos próprios usuários, cada um contribuindo dentro das suas possibilidades econômicas. Essa abertura social tem permitido a inclusão e participação de pessoas de praticamente todas as camadas sócio-econômicas e provenientes das mais distintas localidades, inclusive, de cidades vizinhas a Natal, como São Gonçalo e Parnamirim.  Atualmente, por estar na Direção de uma grande escola pública, apenas estou desenvolvendo uma turma de hidroginástica. Essa funciona as terças, quintas e sábados, das 6h30mim as 7h30mim, com umas 40 pessoas usuárias. O programa já atendeu regularmente mais de 150 alunos, através de 6 turmas em diferentes horários, inclusive, uma turma experimental na Praia de Ponta Negra.

Todavia, todo esse tesouro público e natural, que é a Praia do Forte e, em especial, o seu Piscinão Natural, está fadado a desaparecer ou pelo menos ficar inapropriado para uso humano, caso não se reverta o caótico quadro de degradação ambiental instalado. Entre os visíveis e danosos destacamos o derramamento diário de milhares de litros de esgoto clandestino nas águas da Praia do Meio e no inicio da Praia do Forte. Grande parte dessa água super contaminada acaba chegando, inclusive, ao Piscinão do Forte. Para piorar, nos finais semana e feriados banhistas populares, principalmente, jogam toneladas de lixo sólido nas areias e nas águas dessas praias. Os comerciantes ambulantes e fixos acabam ajudando na proliferação do lixo, quando não orientam ou captam o lixo para um descarte adequado. Um fato similar ao que vem ocorrendo na maioria das praias urbanas brasileiras.

O saldo de todos esses recorrentes e crescentes agravos e crimes ambientais, somados a paralisia do poder público e dos próprios banhistas habituais da praia que não se unem para coibir a degradação da praia, nem mesmo do Piscinão Natural, é que o local está fincando cada dia mais inapropriado para banho humano. Como exemplo, em 2009, pela primeira vez, a área do Piscinão teve sua água imprópria para banho. Ficou assim por 15 dias. No ano seguinte, 2010, a praia ficou inapropriada para banho por 40 dias. Com isso, o programa Hidro Na Praia, que nunca tinha parado, foi forçado a paralisar suas atividades por 30 dias. Os prejuízos diversos para a coletividade usuária ficou explícito. No ritmo e na forma em que as coisas estão evoluindo, em poucos anos o Piscinão Natural da Praia do Forte será interditado para o banho humano, o ano todo, se nada de concreto for feito para mudar a triste situação.

Não devemos nos iludir que o poder público ou um político sozinho, sem ser devidamente estimulado, fortalecido e orientado, vai atender os anseios da população e, inclusive, as necessidades da Praia do Forte de Natal. Como lamentável exemplo, podemos citar o fato do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo, ser um freqüentador habitual da Praia do Forte, e mesmo com dois mandatos, jamais empreendeu uma ação significativa e visível para amenizar e impedir a ocorrência desses agravos e crimes ambientais. Nem mesmo ampliou ou promoveu melhorias na infra-estrutura da praia. Olha que pedidos não faltaram. Não me perguntem o motivo de não ter feito nada. A desculpa de que a área é uma APA (parte da ZPA-7) não é válida ou suficiente, pois pode ser regulamentada, quando é de interesse dos poderosos.   

Antes que Piscinão da Praia do Forte fique regularmente inapropriado para banho, antes que os  banhistas e esportistas habituais e conscientes abandonem a praia, que presumo amar, convoco a todos para que nos unamos e lutemos pela conservação e melhoria desse belo, prazeroso e benéfico patrimônio natural e coletivo, que é a Praia do Forte de Natal. Como ponto de partida para reunir, de forma virtual e eventualmente física, pessoas e idéias voltadas a contribuir para a conservação e a melhoria sócio-ambiental da Praia do Forte, é que estou reativando a rede social virtual UBEFORTE – União de Banhistas e Esportistas pela Praia do Forte. www.ubeforte.ning.com.

Apóie e divulgue essa rede e idéia.

Milton França Junior
Educador Físico
CREF/RN 0001-G  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mais um crime ambiental e urbanístico. Ergue-se o 33º barraco irregular na ZPA7 de Natal

Próximo sábado, 04/03, ainda terá carnaval em Natal e dentro do mar

O Bloco HIDRONAPRAIA fará 2ª #HidroFoliaNaPraia por causa nobre.