Complexo Natalense de Remo e Canoagem: Proposta


Situação atual dos clubes de remo do RN.
 (Clique na imagem para amplia-la) 
Os Clubes de Remo de Natal (únicos no RN) pedem socorro, pois não querem morrer, com as obras de ampliação do Porto de Natal. Além de não terem ajuda financeira governamental, quase não cobrarem mensalidades de seus associados e de não terem patrocínios, vão fechar o acesso ao Rio Potengi. A solução seria relocá-los para outro lugar. Mas, onde teria boas condições de instalação e uso? Quem iria pagar essa solução? O clima é desesperador. Todavia, uma solução foi encontrada e será exposta adiante. Poderá ser o plano B, caso o plano A dos clubes seja inviabilizado. 


Na madrugada de 7/5/2012 , um ex-remador do Clube Náutico, educador físico, idealizador e empreendedor de vários projetos sócio-ambientais e ecoesportivos, todos de cunho público ou comunitário, ao receber uma mensagem do remador Flávio Henrique, que divulgava o pedido de socorro dos clubes de remo potiguar, teve uma ideia bem interessante: transferir os clubes para a margem oposta, entre o antigo atracadouro das balças e a ponte Newton Navarro, bairro da Redinha, dentro de uma concepção mais enriquecida e sustentável.


 O projeto inicial do Complexo Natalense de Remo e Canoagem, idealizado pelo Prof. Milttão, visa: Desenvolver um complexo predial e de apoio, capaz de abrigar satisfatoriamente os três clubes federados do RN, Náutico, Sport e União, e que oportunize a esses realização de atividades de aprendizagem e treinamento, inclusive, de alto nível, dos esportes remo e canoagem de  competição (em modalidades adaptáveis a nossa região). Para garantir receita para os clubes, eles, além de poderem cobrar mensalidades das escolinhas de remo e canoagem (com uma cota à acertar de isenções  para alunos de escola pública ou em condição similar), ainda poderão locar caiaques, barcos a remo e pedalinhos, em padrões apropriados e conforme as habilitações necessárias e as normas de segurança. Poderiam também vender espaço publicitário nas embarcações locáveis. O financiador da construção do complexo seria a CODERN e o Governo do Estado, como uma contra partida pela afetação das atuais sedes dos clubes, além de investir em dois esportes olímpicos.

Outro projeto que pode ser associado é o do Museu e ArteGaleria Bidimensional de Ciclismo, Remo e Canoagem do RN, uma ampliação da ideia inicial ligada ao projeto CicloParque Natal, que só contemplava o ciclismo.


Quem achar a proposta muito interessante e quiser colaborar com o projeto contate-me: Prof. Milttão, milttao@gmail.com, 9122 5600 e no facebook milttao1 ou o grupo REMO E CANOAGEM RN CicloParque Natal.

Comentários

  1. Boa Noite a todos que fazem o blog do Milttão. Sou Josenilson Rodrigues do portal Busaodenatal.com e venho comunicar que estamos sim apoiando os projetos sociais nais quais são marcados pelo o ônibus Scania Ex-Guanabara.

    Depois nos passe as fotos dessa máquina que eu possa publica-las no site com um grande especial fanlando do passado do veículo.

    Parabéns pelos os projetos realizados.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se desejar, deixe aqui seu comentário. Ele será muito importante.

Postagens mais visitadas deste blog

Mais um crime ambiental e urbanístico. Ergue-se o 33º barraco irregular na ZPA7 de Natal

Ambientalistas lançam a #SuperSemanaDoManguezal2017

Próximo sábado, 04/03, ainda terá carnaval em Natal e dentro do mar